Airbnb injetou R$ 2,5 bilhões na economia brasileira em 2016, aponta pesquisa

Por Redação | 11 de Outubro de 2017 às 08h59

Apesar dos confrontos com o Governo, a verdade é que as plataformas de economia compartilhada já são uma importante fonte de renda extra para muitos brasileiros e chegaram para ficar. Pelo menos é isso o que mostra um estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) feito para a Airbnb.

De acordo com a Fipe, a atividade do AirBNB, de maneira geral, acrescentou R$ 2,5 bilhões ao Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2016. Tal resultado impacta siginificativamente no aumento da renda extra obtida por anfitriões brasileiros. O valor corresponde a 0,04% de todos os bens e serviços finais produzidos no país naquele ano, que totalizou R$ 6,2 trilhões. Aliás, toda essa movimentação econômica e seus efeitos indiretos equivalem à geração de novos 70 mil empregos no Brasil. 

Os viajantes que utilizam o Airbnb gastam, em média, três vezes mais que aqueles que ficam hospedados em hotéis. Embora não explique os motivos por trás desse comportamento, tudo leva a crer que ele está relacionado à economia feita na hospedagem. Com mais dinheiro no bolso, quem viaja usando a plataforma acaba gastando R$ 788,2 milhões a mais em outros segmentos.

Atualmente, o Airbnb conta com 143 mil anúncios no Brasil, e mais de um milhão de hóspedes utilizaram o serviço somente em 2016. Segundo a Fipe, o número de pessoas que se hospedam por meio da plataforma é equivalente a 2,1% do total de hóspedes no Brasil - ou seja, ainda há um potencial gigantesco de exploração do setor pela frente.

Via: Valor

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.